Skip to main content

Um estudo dos avisos de consentimento do GDPR e seu impacto na aquisição de dados

Você já clicou em um link de notícias interessante e, antes mesmo de começar a ler, o conteúdo foi imediatamente coberto por um banner de consentimento gigante com apenas uma opção - um botão Aceitar? Não havia opção de simplesmente fechá-lo e voltar à sua leitura, apenas aquele único botão forçando você a aceitar suas condições. Isso é legal? E por que qualquer site sério faria isso com seus leitores? Neste artigo, você encontrará as respostas para essas perguntas e muito mais.

Banners de cookies de um ponto de vista científico

Um grupo de pesquisadores da Universidade de Michigan e Ruhr-Universität Bochum, na Alemanha, teve preocupações semelhantes às mencionadas acima e decidiu realizar um estudo intitulado “Consentimento (des)informado: estudando os avisos de consentimento do GDPR no campo”. Você pode encontrar o artigo completo com os resultados detalhados aqui.

As razões por trás desses banners de cookies são, obviamente, leis de privacidade destinadas a proteger os dados do usuário. Este estudo em particular se concentra principalmente no Regulamento Geral de Proteção de Dados(GDPR), a Lei Europeia de Privacidade de Dados que entrou em vigor em maio de 2018.

O estudo se concentrou em 3 pontos principais:

  • A tomada de decisão de um visitante é influenciada pela posiçãode um banner de cookie em uma página da web?
  • O número de opçõesou caixas de seleção pré-preenchidas ("nudge") afeta o consentimento do visitante?
  • A presença de um link de política de privacidadeou os termos utilizados no texto influenciam a decisão do visitante?

E para estes, 3 experimentos diferentes foram realizados em mais de 80.000 visitantes únicos do site. O estudo foi realizado em um popular site alemão entre novembro de 2018 e março de 2019.

Experimento 1: a posição do banner de cookies

A colocação de um banner de consentimento de cookies afeta nossa decisão de aceitá-los ou rejeitá-los? De acordo com este estudo, muito. A experiência do usuário em um site é importante e, claro, é mais provável que a atenção das pessoas seja atraída para determinadas partes da tela. Se um banner de cookie for colocado no local certo, ele terá uma chance maior de ser aceito.

O estudo levou em consideração telas para desktop e dispositivos móveis, então aqui está o que você precisa considerar ao criar ou redesenhar seu site:

  • um aviso de consentimento colocado no canto inferior esquerdo da tela terá a maior interação(tanto recusas quanto aceitações) com taxas de aceitação entre 18 e 26%;
  • um banner posicionado no canto inferior direito fornecerá a maior taxa de aceitação, com cerca de 34% em desktop e 3,4% em mobile;
  • a menor interação está associada a um banner colocado na parte superior da tela, de uma ponta à outra;
  • os visitantes do site são mais propensos a interagir com um banner de cookie em uma tela de desktop do que em uma tela móvel.

Tanto no desktop quanto no celular, o banner de consentimento colocado no canto inferior esquerdo recebeu mais atenção dos visitantes. Assim, para obter resultados mais precisos, os pesquisadores decidiram que para os Experimentos 2 e 3 os banners deveriam ser colocados no canto inferior esquerdo.

Experimento 2: O número de opções e a forma como elas são apresentadas a você

Quais das seguintes pessoas são mais propensas a consentir? Mais opções são melhores do que uma única?

Os pesquisadores testaram várias variações dos banners de cookies (citados diretamente do estudo):

  • Sem opção(Figura 1 (b)): Em linha com muitos avisos que observamos, adicionamos um 'X' no canto superior direito para dispensar o banner. Não há variante de nudging porque o aviso não oferece nenhuma escolha.
  • Confirmação – Não cutucar(Figura 1 (c)): Este aviso possui um botão “Aceitar” que não está destacado.
  • Confirmation–Nudging: Igual ao aviso de Confirmation–Nonnudging, mas o botão “Aceitar” é realçado (como o botão “Aceitar” na Figura 1 (a) (aa)).
  • Binário–Sem nudging(Figura 1 (a) (bb)): Os botões “Aceitar” e “Recusar” são formatados da mesma forma, nenhum deles é enfatizado.
  • Binário–Nudging(Figura 1 (a) (aa)): O mesmo que Binário–Sem nudging, mas apenas o botão “Aceitar” é destacado em uma cor contrastante.
  • Categorias–Sem nudging: Igual ao aviso (d) na Figura 1, mas com caixas de seleção desmarcadas. A categoria “Necessário” não pode ser desmarcada, como é prática comum.
  • Categorias–Nudging(Figura 1(d)): Igual às Categorias–Sem nudging, mas com caixas de seleção pré-marcadas para todas as categorias.
  • Fornecedores – Não nudging(Figura 1(e)): Semelhante à variante de categorias, mas as caixas de seleção correspondem aos serviços de terceiros usados pelo site do nosso parceiro.
  • Vendors–Nudging: O mesmo que Vendors–Sem nudging, mas com caixas de seleção pré-selecionadas.”

O resultado deste experimento foi diverso em termos de escolhas de consentimento. Mais visitantes aceitaram cookies em ambas as condições binárias, onde tinham a opção de recusar cookies, em vez de na condição de confirmação sem cutucada, onde só podiam aceitar cookies ou não interagir com o aviso. Em comparação com o Experimento 1, o percentual total de pessoas que interagiram com o banner aumentou (de 13% para 55%), principalmente em dispositivos móveis. A maior taxa de interação (55%) ocorreu para o aviso de consentimento binário colocado em dispositivos móveis.

O estudo afirma: “Os resultados do Experimento 2 mostram que os nudges e a pré-seleção tiveram um alto impacto nas decisões de consentimento dos usuários. Ele também destaca que a proteção de dados do GDPR por requisito padrão, se aplicada corretamente, pode garantir que os avisos de consentimento coletem o consentimento explícito. Descobrimos ainda que a maioria dos visitantes toma decisões binárias mesmo quando mais opções são oferecidas concordando com todas ou nenhuma opção. Apenas muito poucos visitantes selecionaram categorias ou fornecedores específicos, enquanto, mesmo na condição binária sem cutucões, um número considerável aceitou o uso de cookies.”

Experimento 3: O texto usado e a presença de um link de política de privacidade

Cerca de 92% dos banners usados para esta pesquisa incluíam um link para a política de privacidade do site, mas apenas cerca de um terço deles mencionou o motivo pelo qual os dados estão sendo coletados. O estudo mostrou que mais visitantes recusam o uso de cookies se uma política de privacidade estiver vinculada e que, em termos de linguagem, o uso do termo “cookies” tem apenas uma influência menor no comportamento de consentimento dos usuários. Este experimento final prova que a posição do banner e o número de opções (Experiência 1 e 2) têm um efeito muito mais perceptível na taxa de aceitação do que o texto usado ou a adição de um link de política de privacidade.

Conclusão

Agora que você sabe quais avisos de consentimento de cookies funcionam melhor do que outros, você pode decidir por conta própria qual seria a melhor escolha para o seu site. Mas lembre-se de que, se você usar o Visitor Analytics para rastrear seu site, nenhum banner de cookie será necessário. Apenas certifique-se de acessar as configurações da sua conta e escolher as opções de anonimização de IP e rastreamento sem consentimento.

Lembre-se de que outras ferramentas ou plug-ins de terceiros usados em seu site ainda podem exigir que você tenha um banner de consentimento, mas se o Visitor Analytics for o único aplicativo de terceiros em seu site, você pode ter certeza de que nenhum cookie irritante bandeira é necessária.

Use banners de consentimento se precisar deles, mas esteja ciente de que você pode acabar com menos de 5% dos dados reais quando fizer tudo legalmente.Você pode ler mais sobre como funciona o processo de rastreamento sem cookies aqui.

______

Fonte: "Consentimento (des)informado: Estudando os avisos de consentimento do GDPR no campo". Os autores do artigo são Christine Utz, Florian Schaub, Martin Degeling, Sascha Fahl e Thorsten Holz.